04 janeiro 2016

Ciúmes do bebê! É normal?

Ficamos 9 meses sentindo os chutes do bebê, conversando com ele por horas e horas e através do toque transmitimos o nosso amor. O grande dia chegou e quando finalmente posso ter em meus braços, a emoção é tão grande, que muitas vezes não permitia os familiares pegarem no colo e paparicarem o novo membro da família. E ai comecei a sentir o tal ciúmes.

Que é super normal. Qual mãe nunca sentiu uma pontinha de ciúmes do seu filho? Com medo dele amar mais a avó, avô do que eu. Pode parecer loucura, mas já passou isso pela minha cabeça e de algumas amigas. Eu mesma senti e pensava e muito!


Até o 3º mês do Heitor, mal as pessoas pegavam Heitor no colo. Somente eu, minha mãe e meu marido que ficávamos com ele. Primeiro porque no primeiro mês, ele ficava mais no peito do que dormindo ou deitado. Segundo porque durante a gestação, eu ouvia muitos palpites que não conseguia digerir muito bem e comecei a ficar irritada/com raiva. Terceiro porque eu tinha ciúmes e não tenho vergonha de falar. Me lembro quando alguém chegava e perguntava: "Posso segurar um pouquinho?"... Não precisava falar nada porque minha cara entregava. Mas eu queria ter meu momento com meu filho. Descobrir os significados dos seus choros. Amamentar. Errar e aprender com os erros. Eu queria fazer tudo do meu jeito, sem ter alguém na minha orelha "faz isso, faz aquilo", "olha ta errado, não é assim".

Porém, eu tive melancolia pós parto. Então misturou esse sentimento de posse + essa alteração de humor.

Mas quando percebi que de uma certa forma não estava deixando os meus sogros (principalmente) terem esse contato de neto e avó/avô, e eu sentia que eles tinham um certo receio de pedir, com medo da minha reação ou não quererem me aborrecer, eu disse: "opa! Pera ai". E me coloquei no lugar deles. O que eu sentiria se fosse avó e quisesse dar amor, pegar, tocar o meu neto? Ainda mais por ser o primeiro neto, e que está mais próximo de mim? Meus sogros tem uma neta, a Eva. Mas mora em outro estado e eles estão com ela somente 1 ou 2 vezes por ano. E eles sentem muita falta dela. Então porque cargas d' águas eu estaria limitando esse contato do Heitor com eles? Meu filho é amado por todos eles, e eu tenho é mais que ficar feliz com isso. Além disso, o meu lugar de mãe é meu e jamais mudará!

Hoje Heitor ama os avós. Tanto paterno como minha mãe. Estamos juntos quase todos os finais de semana. Meu sogro faz tudo que ele quer (quase, porque eu to aqui para freiar rs), minha sogra faz todas as comidinhas dele e minha mãe é doida por ele, que até deixa ele brincar com seus portas retratos!

Sei que muitas mamães tem ou já passarem por isso. Até alguns papais já sentiram ou sentem ciúmes! Meu marido não fala, mas com certeza ele sentiu e sente até hoje!

Mas conforme Heitor foi crescendo, ficando mais independente, o ciúmes diminuiu, mas não sumiu. Acho que nunca vai né. Imagina só quando ele começar a namorar? Espero não ser o tipo de mãe chatolina!

5 comentários:

  1. Seu caso é igual ao meu mas nao acho certo avós terem o título de ser os bonzinhos que fazem tudo. No meu caso eu tenho ciúmes e muito pois minha sogra me disse que avó sempre vai cuidar melhor que a mãe. Hoje ela não pode ver os netos porque sempre foi brigada com as noras... Minha bb seria a alegria mas hoje eu vejo que ela falava mal das suas ex noras que isso que aquilo a respeito da criança e criação então fará o mesmo comigo. Quem quer pegar bb no colo que va fazer um e sofrer de dor e noites em claro como eu... Que va plantar batata. Criança nao e boneco e nem enfeites pra vovó não.

    ResponderExcluir
  2. Seu caso é igual ao meu mas nao acho certo avós terem o título de ser os bonzinhos que fazem tudo. No meu caso eu tenho ciúmes e muito pois minha sogra me disse que avó sempre vai cuidar melhor que a mãe. Hoje ela não pode ver os netos porque sempre foi brigada com as noras... Minha bb seria a alegria mas hoje eu vejo que ela falava mal das suas ex noras que isso que aquilo a respeito da criança e criação então fará o mesmo comigo. Quem quer pegar bb no colo que va fazer um e sofrer de dor e noites em claro como eu... Que va plantar batata. Criança nao e boneco e nem enfeites pra vovó não.

    ResponderExcluir
  3. Seu caso é igual ao meu mas nao acho certo avós terem o título de ser os bonzinhos que fazem tudo. No meu caso eu tenho ciúmes e muito pois minha sogra me disse que avó sempre vai cuidar melhor que a mãe. Hoje ela não pode ver os netos porque sempre foi brigada com as noras... Minha bb seria a alegria mas hoje eu vejo que ela falava mal das suas ex noras que isso que aquilo a respeito da criança e criação então fará o mesmo comigo. Quem quer pegar bb no colo que va fazer um e sofrer de dor e noites em claro como eu... Que va plantar batata. Criança nao e boneco e nem enfeites pra vovó não.

    ResponderExcluir
  4. Ah... lembrando que eu sou mãe de primeira viagem e moro longe da minha família em outro país e moro perto da minha sogra, mesmo assim não deixo ninguém ficar fazendo minha bb de boneco. As vezes peço a Deus sabedoria mas não consigo deixar com ninguém até porque aqui é minha única família. Minha forma de ser e npra que mudar pra agradar a quuem... Vi que minha sogra e legal comigo e sempre foi...mas é fofoqueira e ja falou coisas privadas da minha vida e do propio filho dela entao nao tenho mas nenhuma confianca. Mas Deus cuidará de mim. Tenho fé...

    ResponderExcluir
  5. Seu caso é igual ao meu mas nao acho certo avós terem o título de ser os bonzinhos que fazem tudo. No meu caso eu tenho ciúmes e muito pois minha sogra me disse que avó sempre vai cuidar melhor que a mãe. Hoje ela não pode ver os netos porque sempre foi brigada com as noras... Minha bb seria a alegria mas hoje eu vejo que ela falava mal das suas ex noras que isso que aquilo a respeito da criança e criação então fará o mesmo comigo. Quem quer pegar bb no colo que va fazer um e sofrer de dor e noites em claro como eu... Que va plantar batata. Criança nao e boneco e nem enfeites pra vovó não.

    ResponderExcluir

sos amigas mamães - todos os direitos reservados 2014/2015 | design por jessica chan e programação por rebeca franca