07 agosto 2015

Semana Mundial do Aleitamento Materno #defensoresdaamamentacao

Quem nunca ouviu “Ah... amamentar é muito bom”!

Amamentar não é aquela coisa linda e maravilhosa como muita gente diz por ai. A maioria das mamães, sentem grande dificuldade no início do processo da amamentação pois é dolorido, e pode causar fissuras ou rachaduras. Não julgo aquelas que não conseguiram ou não conseguem amamentar seus bebês, mas também sabemos que grande parte delas necessita de encorajamento e apoio nessa hora.


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o aleitamento materno é a melhor forma de fornecer ao recém-nascido todos os nutrientes necessários para um crescimento saudável. O leite materno promove o desenvolvimento sensor e cognitivo da criança, além de protegê-la contra doenças crônicas e infecciosas. A orientação da OMS é que o bebê receba somente o leite materno até os 6 meses, e que depois seja associado a outros alimentos até que a criança complete dois anos ou mais. A amamentação exclusiva rediz a mortalidade infantil por enfermidades comuns da infância, como diarreia e pneumonia, ajuda na recuperação de enfermidades, e aproxima mãe e bebê em um laço que transmite calma e segurança para a criança.

A campanha Defensores da Amamentação foi desenvolvida com o objetivo de informar e mobilizar as mães brasileiras sobre a importância e os benefícios do aleitamento materno, e acontece junto com a Semana Mundial de Aleitamento Materno 2015. O objetivo é conscientizar mulheres e homens sobre o benefício do aleitamento materno para que as recém mamães sintam-se encorajadas a iniciar e persistir mesmo com as dificuldades que possam acontecer. Queremos mostrar que o apoio é algo que vem não somente de outras mulheres, que já viveram isso, mas também dos pais, amigos, avós e profissionais de saúde. Por isso, o seu apoio é muito importante!!!!

Na maternidade, tive uma grande ajuda de enfermeiras. Elas ensinaram a melhor posição, pega correta, massagem para tirar o acumulo de leite para não ter o risco de empedrar. Mas tudo parece fácil quando se fala não é?

Passei por momentos terríveis e de estresse durante a amamentação, pois Heitor pegou somente o peito do lado direito, não teve médico e enfermeira que conseguisse fazer com que Heitor mamasse no peito esquerdo. Mas em nenhum momento passou pela minha cabeça em desistir, pois eu quis muito amamentar e me preparei para isso.

Amamentar para mim é um ato de amor, era nosso momento entre mamãe e bebê. Criamos um vínculo, que nada nessa vida irá explicar essa sensação. Aquele olhar, contato é surreal.

Mesmo alimentando meu filho somente com um peito, segui em frente. Infelizmente não consegui amamentar mais de 6 meses, pois no 6º mês minha produção de leite caiu 90%, Heitor chorava durante a mamada por não ter o suficiente, não estava ganhando tanto peso, sem contar que descobri que estava com mastite.

Foram 6 meses de amamentação exclusiva e livre demanda, até o momento onde decidi tomar remédio para secar o pouco de leite materno que me restava, tratar da inflamação e erguer minha cabeça por não conseguir amamentar por mais tempo (foi complicado trabalhar esse meu lado emocional).

Mas penso, quantas pessoas não conseguem amamentar seu filho nem por uma semana? Que se prepararam e desejaram esse momento.


Sabemos a importância de amamentar. Todos seus benefícios, mas sem radicalismo.

E por que é tão importante amamentar?

  • Ao amamentar a mãe alimenta o bebê e transmite amor e carinho;
  • O leite materno é um alimento completo. Ele é o único capaz de oferecer tudo que o bebê necessita nos primeiros 6 meses de vida e continua sendo um excelente alimento até os 2 anos ou mais;
  • O bebê fica protegido contra diarreias, infecções respiratórias, otites, asma, obesidade, diabetes e alergias. E o colostro (leite dos primeiros dias) é rico em fatores de proteção para o bebê;
  • Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face, ajudando a criança a ter dentes saudáveis, a desenvolver a fala e a ter boa respiração;
  • Previne hemorragias maternas no pós-parto;
  • Ajuda a mãe a recuperar o peso anterior da gravidez;
  • Reduz o risco de câncer de mama e de ovário;
  • É de graça, está sempre pronto e na temperatura ideal.

Como vou saber que o bebê está mamando o suficiente?

Muitas mães dizem que o bebê acabou de mamar e está chorando, irritado, o que faz com que elas fiquem apreensivas e preocupadas, achando que o bebê está com fome e seu leite não foi suficiente. Porém, bebês choram, e nem sempre é de fome. E se ele já estiver incomodado com algo, que não seja fome, e a mãe insiste em colocá-lo no peito, esse incômodo aumentará ainda
mais.

A maneira mais fácil de saber que o bebê está mamando o suficiente é através do ganho de peso, e isso acontece durante a visita ao pediatra, porém, como não dá para ir ao pediatra todo dia, a melhor maneira de verificar é através das trocas de fraldas. Se as trocas acontecem pelo menos 6 vezes ao dia, o xixi está claro, o bebê está evacuando regularmente, fique tranquila, que seu bebê está recebendo leite suficiente!


Tem alguma posição mais indicada para amamentar?


A melhor posição é que a mãe e bebê se sintam confortáveis. As mais comuns são:

  • Tradicional: sentada, coloque o bebê contra o seu corpo, com a cabeça apoiada no antebraço do mesmo lado do seio que será oferecido.
  • Cavaleiro: coloque o bebê sentado na sua perna, de frente para você, na posição "cavalinho".
  • Invertida: sentada, coloque o bebê contra o corpo e segure-o com o braço oposto ao do seio oferecido. A cabeça fica apoiada nas mãos da mãe.
  • Deitada: deite-se de lado com um travesseiro sob a cabeça. Coloque o bebê apoiado no seu braço, de forma que ele permaneça com a cabeça reta durante a mamada.

Por isso, ter informações e apoio de algum especialista no assunto é indispensável. Amamentar é algo natural, mas muitos acham que é simples, mas na prática é bem diferente do que imaginamos.

Por isso não tenha vergonha na hora de pedir ajuda. Peça e seja feliz!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

sos amigas mamães - todos os direitos reservados 2014/2015 | design por jessica chan e programação por rebeca franca